Festival do Japão

Furusato-Meguri

VIAGEM AOS LOCAIS EM QUE VIVERAM OS IMIGRANTES JAPONESES
Pensando sobre a história dos imigrantes japoneses

43ª edição da viagem de 5 dias e 4 noites pela linha Paulista no Estado de São Paulo

Iniciado em 1988, mesmo ano da comemoração dos 80 anos da imigração japonesa para o Brasil, o “Furusato Meguri” completou 27 anos de existência em 2015. Durante esse período, as atividades foram interrompidas
entre 96 e 97 devido à vinda do Imperador e a Imperatriz para as comemorações do centenário do Tratado de Amizade Brasil-Japão. Em 2001, com a Cerimônia de inauguração do monumento em homenagem aos
imigrantes que embarcaram para o Brasil pelo porto de Kobe, o Furusato Meguri passou a ser realizado a cada 2 anos e suas atividades continuam até os dias de hoje.

O Furusato Meguri surgiu como uma vontade daqueles que entraram no Brasil como imigrantes de visitar os locais inicialmente habitados, então chamados de colônias, e posteriormente às cidades para onde se deslocaram posteriormente, além do desejo de conhecer os locais e associações nikkeis desconhecidos. Nas regiões visitadas passaram a ser realizadas cerimônias budistas em homenagem à alma dos mortos locais.

A 43ª edição do Imin Furusato Meguri aconteceu durante a expansão das linhas de trem Paulista em 1989. Dela participaram imigrantes japoneses que haviam começado as plantações de café em Marília em 1925, época em que as linhas ainda não eram interligadas. Depois de Marília, as regiões de maior concentração de japoneses foram, respectivamente, Pompéia e Tupã, a área mais importante da cidade de Bastos. A Colônia de Bastos é o local onde foi inaugurada em 1928 a “Sociedade Colonizadora do Brazil Limitada” (BRATAC), cidade onde se encontra muito da história dos imigrantes japoneses. Na cidade de Bastos nasceram e foram criados muitos nisseis e sanseis, que depois foram para as grandes capitais. A viagem a esses locais foi proveitosa no sentido de entender mais da história e poder ver a influência dos japoneses no progresso das cidades.


44ª edição da viagem de 8 dias no Mexico de Intercâmbio e História

A 44ª edição do Imin Furusato Meguri foi uma visita dos imigrantes japoneses vindos do Brasil e do Perú ao México, país de história bastante antiga. Um total de 90 pessoas divididas em 3 grupos participaram da viagem.

Na cidade do México, além de visitarem a Escola Internacional “Nihon Mekishiko Gakuin”, onde será implantado um currículo educacional japonês e mexicano, trocaram experiências com os nikkeis locais em suas associações.

Além disso, visitaram a rota percorrida pelos primeiros imigrantes japoneses na América Central (Enoki Shokumin) em 1897, em Acacoyagua, na região de Escuintla e Estado de Chiapas, próximo à fronteira com a Guatemala. Com o mesmo ideal em mente, 36 jovens haviam partido do Japão. No meio do caminho à bordo do navio um deles faleceu, sendo que os outros 35 continuaram viagem e desembarcaram em Puerto Madera, no porto de San Benito. Dalí, dizem que teriam caminhado sob um sol escaldante até a cidade de Tapachula. Chegando ao local determinado, descobriram ser uma floresta, muito diferente da terra idealizada e com medidas diferentes das que haviam sido selecionadas. Sendo obrigados a enfrentarem uma estação de chuvas que eles não imaginavam, surtos de malária e falta de capital, uma parte do grupo decidiu fugir no desespero e, em 1 ano, tudo havia sido destruído.

Ouvindo e aprendendo mais sobre essas histórias dos imigrantes, os visitantes engajaramse no intercâmbio com a comunidade Nikkei local, experimentando comida mexicana, assistindo a uma apresentação de marimba e danças tradicionais japonesas.

Foi um encontro emocionante diante de tamanha e calorosa receptividade.